©

©

10 de mai de 2013

OVNIs ‘voam em nossos céus’, diz major da Força Aérea dos EUA

Príncipe Phillip convidou o piloto e a tripulação para jantar e discutir o encontro

O Major George Filer III (centro) testemunha no evento ‘Audiência Cidadã de Divulgação’ no Clube Nacional de Imprensa em Washington DC em 3 de maio de 2013 (Shar Adams/The Epoch Times)
WASHINGTON – Um ex-major da Força Aérea dos EUA com 5 mil horas de voo descreveu em detalhes seu encontro com um OVNI (objeto voador não identificado), dizendo a ex-membros do Congresso norte-americano, numa audiência sobre avistamentos de extraterrestres, que ficou interessado por OVNIs desde essa experiência.
“Essas naves espaciais ocasionalmente percorrem nossos céus e minha teoria é que elas têm vindo aqui há milhares de anos”, disse o Major George Filer III em 3 de maio, último dia da ‘Audiência Cidadã de Divulgação’, um evento de uma semana no Clube Nacional de Imprensa em Washington DC, EUA.
Filer foi uma das 39 testemunhas que deram depoimentos durante a audiência, incluindo ex-oficiais das forças armadas dos EUA, agências federais, pesquisadores, acadêmicos e cidadãos comuns.
Ex-oficial da inteligência da Força Aérea, Filer era um piloto norte-americano estacionado na Base Sculthorpe RAF na Inglaterra em janeiro de 1962. Ele estava reabastecendo aeronaves de combate a cerca de 30 mil pés sobre o Mar do Norte quando foi notificado pelo Controle de Londres que o radar tinha detectado um OVNI.
Era em torno do pôr do sol e uma noite clara quando ele se dirigiu ao local do objeto, cerca de mil pés sobre uma área perto de Oxford e Stonehenge, disse ele.
Filer disse que podia sentir a adrenalina quando seu avião-tanque KB-50J ultrapassou o que ele chama de linha vermelha de velocidade máxima para chegar lá. Ele disse que a torre de controle em Londres havia limpado a área e contava regressivamente a distância de aproximação.
Numa apresentação escrita na audiência, ele descreveu a experiência como se segue:
“Eles narravam a distância de aproximação, 60 e 40. A cerca de 30 milhas, meu Radar APS-23 detectou o OVNI pairando à frente.”
“Foi um sinal de radar excepcionalmente grande fazendo-me pensar numa grande ponte ou navio. A nave era maior do que qualquer coisa que eu tivesse visto antes no ar. Isso me fez lembrar o retorno de radar da Ponte de Brooklyn de 1,83 km ou o Estuário de Forth Bridge na Escócia (de 2,53 km), ao longo de uma milha de comprimento.”
“O contorno era nítido e sólido em comparação com a imprecisão de uma nuvem de chuva. Achei que a nave fosse feita de aço ou metal sólido. Voávamos a umas 425 mph quando nos aproximamos a cerca de 10 milhas, então, o OVNI aparentemente percebeu que estávamos interceptando”, disse ele.
“Era uma noite escura; só podíamos ver uma série de luzes turvas diretamente à frente, semelhante a um navio de cruzeiro no mar. Agora, apenas 5 milhas nos separavam. De repente, o OVNI pareceu ganhar vida, as luzes brilharam intensamente e ele acelerou como no lançamento de um foguete espacial decolando à noite.”
“Vimos muitas luzes brilhantes e a aceleração fantástica, pois ele subiu quase reto e subitamente se foi. Eu soube que essas naves enormes são chamadas de naves-mãe, porque como um porta-aviões elas transportam naves-disco menores.”
“Perguntamos ao Controle de Londres se eles tinham algum lançamento de foguete na região. O Controle de Londres parecia tão desapontado como nós. O controlador disse, ‘Não há lançamento de foguetes naquela área, obrigado pela intercepção, agora você está liberado para retornar a sua missão.’”
Atenção da realeza
Filer disse que o incidente não ganhou grande atenção, embora ele o tenha recordado em seu registro de voo e sido mencionado no dia seguinte nas operações. Porém, poucas semanas depois, ele e sua equipe receberam um convite para jantar com o Príncipe Phillip, Duque de Edimburgo, que havia manifestado interesse em sua experiência.
“Cerca de sete de nós se sentaram em volta de uma mesa para discutir OVNIs. O Príncipe Phillip foi muito gentil e amigável. Ele estava muito interessado em nossa interceptação e assumimos que ele também tivesse sido informado pelo Controle de Londres porque a Força Aérea dos EUA não parecia ter qualquer interesse”, disse Filer em seu depoimento escrito.
Quando ele perguntou ao consorte real da Rainha Elizabeth II por que ele estava interessado, o Príncipe Phillip lhe respondeu, “Meu tio que me criou, Earl Mountbatten, viu OVNIs de perto quando esteve na Marinha.”
Filer contou que o Príncipe Phillip lhe disse ter interrogado tripulações que interceptaram OVNIs “em muitas ocasiões”.
Filer disse que pesquisa o tema dos OVNIs há muitos anos e acredita que os extraterrestres têm visitado o planeta Terra há milhares de anos.
Ele se referiu às estruturas arqueológicas esculpidas no solo chamadas cursos, que são encontradas em toda a Inglaterra, e acredita que se assemelhem a forma das naves-mãe OVNIs.
“O complexo de Stonehenge e Silbury Hill na Inglaterra pode de fato representar visitações de uma raça alienígena num passado distante”, disse ele.
Filer teve outra experiência com uma nave extraterrestre enquanto estava na Força Aérea dos EUA, segundo os organizadores da Audiência Cidadã de Divulgação, mas ele não a discutiu no evento. Atualmente, ele é diretor regional da ‘Mutual UFO Network’ (MUFON), uma organização voluntária sem fins lucrativos que foi criada em 1969 para registrar e estudar os OVNIs. Ele também produz um boletim informativo semanal sobre OVNIs, chamado ‘Filer’s File’.

O Major George Filer III quando piloto da Força Aérea dos EUA por volta da época que teve seu primeiro encontro com um OVNI (Cortesia do Major George Filer III)
O avião-tanque KB-50J, o Major George Filer III voava na Inglaterra em 1962 quando lhe foi pedido que investigasse um OVNI avistado perto de Oxford e Stonehenge (Cortesia do Major George Filer III)
O avião-tanque KB-50J, o Major George Filer III voava na Inglaterra em 1962 quando lhe foi pedido que investigasse um OVNI avistado perto de Oxford e Stonehenge (Cortesia do Major George Filer III)
Um mapa da Inglaterra, ilustrando a trajetória de voo do Major Filer, desde quando ele recebeu a chamada no Mar do Norte até quando se aproximou do OVNI, que pairava na região ao longo de Oxford e Stonehenge (Cortesia do Major George Filer III)
Um mapa da Inglaterra, ilustrando a trajetória de voo do Major Filer, desde quando ele recebeu a chamada no Mar do Norte até quando se aproximou do OVNI, que pairava na região ao longo de Oxford e Stonehenge (Cortesia do Major George Filer III)
Uma foto da leitura de radar do OVNI que o Major George Filer testemunhou nos céus de Oxford na Inglaterra em 1962. O radar "registrou um grande sinal", disse ele. (Cortesia do Major George Filer III)

Uma foto da leitura de radar do OVNI que o Major George Filer testemunhou nos céus de Oxford na Inglaterra em 1962. O radar “registrou um grande sinal”, disse ele. (Cortesia do Major George Filer III)


Uma foto das luzes projetadas quando uma nave-mãe OVNI decolou e desapareceu logo que o piloto e Major George Filer III da Força Aérea dos EUA se aproximou (Cortesia do Major George Filer III)
Uma foto das luzes projetadas quando uma nave-mãe OVNI decolou e desapareceu logo que o piloto e o Major George Filer III da Força Aérea dos EUA se aproximaram (Cortesia do Major George Filer III)
Uma imagem de uma nave-mãe, desta vez com janelas visivelmente claras, fotografada sobre a Ilha Cumberland Rhode em julho de 1967 (Cortesia do Major George Filer III)
Imagem de uma nave-mãe, desta vez com janelas visivelmente claras, fotografada sobre a Ilha Cumberland Rhode em julho de 1967 (Cortesia do Major George Filer III)
Uma foto de uma nave-mãe em forma de cilindro sobre o Japão. Os discos menores seriam naves menores (Cortesia do Major George Filer III)
Foto de uma nave-mãe em forma de cilindro sobre o Japão. Os discos menores seriam naves menores (Cortesia do Major George Filer III)
Um curso de uma milha na Inglaterra que pode ser uma indicação do tamanho de uma nave extraterrestre. O Major George Filer, especialista em OVNIs, acredita que o planeta Terra tem sido visitado por seres de outros planetas há milhares de anos (Cortesia do Major George Filer III)
Curso de uma milha na Inglaterra que pode ser uma indicação do tamanho de uma nave extraterrestre. O Major George Filer, especialista em OVNIs, acredita que o planeta Terra tem sido visitado por seres de outros planetas há milhares de anos (Cortesia do Major George Filer III)
Marcações ou estruturas arqueológicas esculpidas no solo em vários lugares ao redor Inglaterra podem ter sido deixadas por naves alienígenas, diz o Major Filer (Cortesia do Major George Filer III/Fotografia Tim Prevett)
Marcações ou estruturas arqueológicas esculpidas no solo em vários lugares ao redor Inglaterra podem ter sido deixadas por naves alienígenas, diz o Major Filer (Cortesia do Major George Filer III/Fotografia Tim Prevett)
Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.
Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

Nenhum comentário: